Moda+Realidade Virtual: O futuro do mercado

Que tecnologia e moda estão andando lado a lado há muito tempo, isso não se tem dúvidas. As inovações tecnológicas sempre estiveram presentes, e isso vem aumentando cada vez mais, em prol de uma melhor experiência. Mas qual será o próximo passo? Segundo Tim Cook, CEO da apple, a realidade virtual tem muito à contribuir em nossos processos de consumo, e isso não está em um futuro tão distante. “Eu não acho que haverá algum setor ou indústria que não será tocado pela AR (augmented reality)” diz o empresário.

A realidade virtual já é muito usada em alguns setores, e tem tomado ainda mais força nos últimos anos. A Apple criou recentemente o ARKit, um novo conjunto de ferramentas da marca que permite que os desenvolvedores de software criem mais facilmente experiências AR em iPhones e iPads. Com essa tecnologia diversas empresas adicionaram esse diferencial em suas plataformas de venda online, como por exemplo a IKEA, do ramo de venda de móveis. Agora seus clientes podem visualizar como uma cadeira ficará em algum cômodo da sua casa antes de realizar a compra, através da realidade virtual inserida no aplicativo​ ​online​ ​da​ ​marca.
Cook diz que isso já está entrando lentamente no mundo da moda, em marcas por exemplo como a Rimmel e a GAP, que disponibilizaram softwares para experimentar maquiagem e roupa online. Apesar de a tecnologia não ter sido avançada o suficiente para substituir o contato da compra física, já é considerado um grande passo para a indústria. Os clientes de moda estão cada vez mais prezando por uma experiência de consumo com um diferencial a mais, onde tudo que rodeia o momento da compra se torna mais significativo que o produto em​ ​si,​ ​e​ ​a​ ​facilidade​ ​da​ ​AR​ ​com​ ​certeza​ ​trará​ ​isso.
O empresário diz que não vê isso como algo imediato no universo fashion, mas consegue afirmar que futuramente a AR terá um impacto muito grande quando o assunto for consumo de moda, tanto online quanto offline. Ele conta que vê um futuro onde possamos encontrar peças que vimos na rua na tela de nosso celular, com apenas poucos cliques.​”Nós (Apple) não temos um plano para colecionar todos esses objetos, mas conheço empresas que já trabalham nisso para seus produtos. Isso será uma parte da experiência de compra do futuro, absolutamente” ​diz​ ​Cook.

Fique por dentro de todas as novidades!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Revista Catarina.

Seu endereço de e-mail*